• por Juliana Rocha

Emoção na Trilha Noturna


Em 26 de maio, o Núcleo ABC Off Road, grupo que faço parte, organizou um super passeio noturno para a região de Paranapiacaba, com direito à jantar na vila inglesa, passeio pelo Caminho do Sal e após o jantar, uma trilha surpresa pra lá de emocionante no meio da mata de madrugada!

Por causa da paralisação dos Caminhoneiros no Brasil todo e a falta de combustíveis nos postos da cidade, eu não pude ir com o TR4 pois estava apenas com meio tanque, quis guardar para emergências. Então avisei no grupo que não iria mais. Em, seguida, o Ronaldo do Jornal Mais Off Road, me chamou pra ir com ele no Jipe JPX, junto com a Betha e o Guto. OBAAAA Fiquei feliz, ia andar de jipe jipe e ainda de zequinha!!

Lá fomos nós!

Só os fortes numa noite gelada!

Brincando com a lanterna rendeu boas risadas da turma! Nós de JPX e o Guto "Fantasma" kkkkkkkkkkkk

Ronaldo liderou o primeiro comboio com 23 viaturas! Teríamos 3 comboios saindo do Riacho Grande no Bar da Lu, em horário pré-definidos com a organização, afinal estávamos em mais de 50 viaturas! Tinha amigos jipeiros de todo canto de São Paulo e Grande ABC e também de vários grupos como Pacaembu 4x4, Jeep Dog Brasil, Ratos 4x4, Cabeçudos 4x4, Jeep Clube de Ribeirão Pires, etc., além da turma do Núcleo ABC Off Road que veio em peso!

Parte do Comboio

Saída do Bar da Lu

Antes de entrar no Caminho do Sal propriamente dito, algumas viaturas, inclusive a gente, foram encarar uma super subida com erosões profundas que definitivamente a TR4 não subiria" (Eu já subi neste local de TR, dois anos atrás... não estava tão feio como hoje heheh). A descida também foi emocionante, ainda mais pra mim que estava no banco traseiro do JPX, se segurando nas barras de ferro do jipão e chacoalhando pra lá e pra cá!

Eu e Betha kkkkkk

O Caminho do Sal está como um passeio leve, pois passaram trator (estão mexendo no local) então as partes que tinha lama, buracos e erosões virou uma pista lisa para a nossa tristeza. Os locais que parávamos os jipes para tomar banho nos rios foram fechados com estacas e aquela enorme subida com uma erosão terrível no meio, onde subia uma viatura por vez e muitos em reduzida, hoje subimos em 4x2. Sacanagem hein!! Após essa subida, a descidona com erosões e descida em reduzida, deu lugar à uma descida livre, sem graça. A esperança era essa descida terminar numa poça de lama que nunca seca. Cadê? Nada! Apenas brita e mais brita. Aqueles buracões que viviam lotados de lama, praticamente uma piscina de lama, onde passávamos lateral com os ductos da Petrobrás não existem mais.

Em poucos minutos, chegamos no asfalto, atravessamos os trilhos dos trens, mais um pouquinho de estrada de terra com brita e chegamos na pacata Paranapiacaba, SQN, justo neste sábado, estava acontecendo um Encontro de Bruxas e Magos e a pacata vila inglesa estava bem agitada e lotada de gente. Ronaldo puxou o comboio pela cidade até o restaurante, onde lotamos a rua de viaturas off road. Como o segundo comboio estaria chegando logo mais, tratamos de ir jantar para em seguida dar lugar à nova turma.

Parte do pessoal jantando, parte do pessoal confraternizando

Invasão de jipeiros em Paranapiacaba

Após saborear um bife à parmegianna e um chocolate quente para esquentar a noite fria na vila, um grupo resolveu se aventurar na Trilha do Eucalipto, outro grupo foi pra Macumba e um terceiro grupo ficou na vila. Adivinha para onde eu fui? Pois é, Trilha do Eucalipto. Nunca fiz essa trilha, por ser considerada média para pesado, requerendo pneus 31 ou maiores, guincho e lift, ou seja, um mínimo de preparação pesada. Nos acompanharam nesta aventura, além do JPX, Jeep Willys, Troller, Triton L200, Nissan X-Terra, uma corajosa Tracker original e uma Pajero Dakar (que deu ruim na metade do percurso, infelizmente).

Turminha boa demais do Núcleo ABC Off Road jantando juntos

Intercalamos as viaturas preparadas com as menos preparadas e partiu, em fila indiana morro acima e depois morro abaixo, um breu total, barranco de um lado, morro do outro, com muitos buracos e piscinas de lama profundas, um pula-pula danado no banco de trás! Nesta trilha vi como minhas zequinhas sofrem! Prometo ser mais "delicada" ao pilotar a viatura pelos buracos na próxima vez! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk E a diversão logo começou com um atolando atrás do outro, ora L200, ora Troller, ora Dakar.

Atoleiro vai, atoleiro vem, a Dakar tentou, tentou, tentou mas não passou de um super buraco com lama e uma subida chatinha, pois lhe faltava pneus. Lá fomos nós puxar a viatura. Com muito custo, conseguimos tirá-la da vala e assim segui-se a aventura.

Ronaldo preparando a cinta para puxar a Dakkar

Dakar ja fora do enrosco

Mal saia de um atoleiro, a comboio parava, lá na frente alguém enroscado no próximo! E de repente, um cheiro muito forte de álcool no meio da mata... O que é isso, um pergunta pro outro. E então logo descobrimos! Quando a Pajero Dakar atolou em um dos primeiros buracos, (foto acima), um tronco grosso ficou preso nas cintas que "protegem" ou "seguram" o tanque de combustível. Com os socos ao forçar a viatura para subir o morrinho pós buraco, o tronco rasgou o tanque e o cheiro de álcool era o combustível da Pajero saindo igual cachoeira direto na terra! E agora? Estávamos na metade da trilha, com muitas subidas escorregadias, descidas estreitas e buracos de lama... O carro pararia a qualquer minuto! Passamos na frente de todos, Ronaldo puxando a Dakar e um colega na L200 liderando nosso pequeno comboio afim de pelo menos chegar no asfalto para chamarmos um guincho para o amigo. Porém, faltando menos da metade, acabou o combustível, vazou tudo pra fora do tanque e o carro desligou. Ronaldo puxou a Dakkar até onde o fim da trilha, e no plano, um troller da mesma cidade (Ribeirão Pires), rebocou o pessoal da Dakar até em casa.

Entramos na trilha por volta da meia noite e saímos às 2 da madrugada devido aos enroscos! Pra completar, o Willys furou o pneu quase no fim, e antes de irmos embora, fomos ajudar o parceiro jipeiro a trocar o pneu. Tudo pronto, partiu para casa. Saímos da estradinha ainda em comboio e após isso a turma se dispersou pelo asfalto. 02:30h da manhã e a neblina pairava no ar, bloqueando tudo à frente na estrada:

Neblina na estrada na volta , altura de Rio Grande da Serra/SP

Nosso sábado foi muito legal, adorei o convite para andar de JPX e ter participado dessa super trilha com a turma do Núcleo ABC Off Road! Na volta, Ronaldo me deixou em casa e eis o resultado quando chegou na sua garagem:

Sinal de que a aventura foi muuuuuuuuuuito boa nestes sabadão!

AGRADECIMENTOS:

- Ronaldo do Jornal Mais Off Road pelo convite para ir de jipe!

- Organização do Núcleo ABC Off Road pela super organização e competência!

- Amigos Cabeçudos Off Road, Ratos 4x4, Pacaembu Off Road pela amizade e carinho!


8 visualizações

© 2014-2020 por Liberdade 4x4

Contato: liberdade4x4@hotmail.com / liberdade4x4@gmail.com

 Todos os Direitos Autorais Reservados. Proibida a cópia e disseminação de imagens sem autorização.