• - Por Juliana Rocha

Relato: 1º Rally Mit em Mogi-Guaçu/SP


Relato do nosso primeiro rally do ano de 2018....

Foto: Jairo Luis Souza

E tudo começou no domingo à noite, véspera da inscrição do rally, com o técnico do meu notebook me mandando uma mensagem "o teclado do seu note morreu... algumas teclas não funcionam mais e agora deu falha na conexão e na placa do sistema. Pedi um de Curitiba, porém os correios estão em greve então não sei quando poderei arrumá-lo." Puxa, pensei eu, amanhã é do dia das inscrição do rally.... E AGORA? Foi quando PLIMMM tocou no whastsapp. Era minha navegadora Elaine me chamando para uma conversa. VOCÊ! Falei pra ela! Amanhã antes das 8h estarei aí para inscrição da Mit. Ela não teve senão concordar com a intimação.

E lá fui eu às 7h da matina de uma segunda-feira aguardar o über na porta de casa para me levar há três bairros do meu. Essa é a parte boa da navegadora morar perto hehehe. Cheguei na casa dela faltando meia hora do horário estabelecido pela Mit (8h). Ficamos batendo papo e me loguei ao site da Mit, atualizando o mesmo a cada 5 minutos. As mãos tremiam, a ansiedade a toda prova, nem café da manhã quis tomar. O relógio marcou 8 horas e começou a "correria"!

Na página, 250 Vagas estavam disponíveis, mas o site "bugou", e ao invés de aparecer meu nome como Piloto, entrou "Daniel Manse" no meu cadastro! Atualizei a página, e entrou um tal de "Luis". Atualizei novamente e do piloto, pulou para o navegador, aparecendo "Minae". Depois de mais uma atualização, apareceu "Mirela Kurata". São pessoas que conheço do meio, mas tudo no meu cadastro, no meu CPF. O site estava louco. Fechei tudo, todas as páginas. Vamos começar do zero. Pronto, o site não aceitava mais que eu cadastrasse meu CPF, tive de cadastrar o de minha mãe como Piloto. Elaine veio da cozinha onde fazia uma crepioca para me ajudar, pois meu braço tremia muito e mal conseguia digitar. Começamos tudo de novo e desta vez parece que deu certo. Porém, como nem tudo são flores, ao cadastrar o veículo, pedia o número do Chassi. Eu havia ido de über, o documento do Liberdade ficou em casa! Com o desespero de conseguir uma vaga, pedi o documento do Corsinha da Elaine, pois não daria tempo de eu ligar pra casa e alguém pegar o doc da TR4 para me passar aquela sequência de números e letras desencontradas. Elaine pegou o doc dela e me ditou o número. Uma Pajero TR4 com o Chassi de um Corsa era o que havíamos conseguido cadastrar!

Neste meio tempo, a casa toda cheirava a queimado..... A crepioca! Mas "vamo" que "vamo"! Inscrição finalizada com sucesso. Tremendo de nervoso, olhei para a Elaine, e ela mastigava calmamente a crepioca que queimou no meio do desespero rs.

Minutos após (08:10h), no site aparecia "OCORREU UM ERRO INESPERADO", e todos meus amigos e colegas de whatsapp dos grupos de jipeiros reclamavam que não estavam conseguindo se inscrever. Conseguimos imprimir a ficha, mas ao atualizar a página, aparecia como "não inscrito". No fim das contas, eu tinha 4 fichas de inscrição preenchidas, cada uma com um número e no meu cadastro constava como não inscrito. Passei o dia na Elaine, e quando foi quase seis horas da tarde, meu mecânico (e também piloto de rally), posta em um grupo que as inscrições da Mit abriram novamente, ou seja, teria de fazer a inscrição tudo de novo!!! Lá fomos nós! Ainda bem que eu estava na casa dela nesta momento, porque meu computador só ficou pronto mesmo 2 semanas após esta segunda-feira crítica!

Com 5 fichas de inscrição, desta vez, impressas, reuni toda documentação e fichas de Cadastro de Piloto e separei para o grande dia. Durante os 12 dias que antecederam a prova, averiguava no site se a inscrição constava como confirmado. Acreditem ou não, 5 dias após, apareceu "não inscrito" novamente. Fiz mais uma vez uma nova inscrição e por fim deu certo.

Partimos de São Bernardo, na sexta-feira dia 22/3, as 09h da manhã com destino à Mogi. Paramos no caminho para tomar café e chegamos na cidade pouco antes do meio-dia. O sol ardia forte e aproveitamos, antes do almoço para dar um super mergulho na piscina do hotel.

Vista do fundo do hotel, para a beira do Rio Mogi-Guaçú

Piscina do Hotel

O Hotel Arbom, no qual estávamos hospedadas, fica pertinho da rodovia e do centro da cidade, e além disso, também fica na beira do Rio Mogi-Guaçu. Nota 10 para o hotel, cama, chuveiro, quarto, estacionamento, funcionários e dependências externas. Nesta noite, ainda tive a sorte de encontrar um super sapo perto do quarto. Elaine saiu gritando e eu fiquei lá fotografando o sapão (imenso).

À tardinha, partimos para o Auttódromo Velo Citá, há 22km do hotel, onde aconteceria toda a festa (briefing, largada, chegada e premiação).

Foto: Cadu rolim

Quando adentramos no Autódromo, veio uma tempestade de vento e água, uma chuva violenta.

Ao chegar no briefing, recebemos a Ficha de Acompanhamento, com alguns passos a se realizar até a hora da largada. Entregamos a cesta básica e o kit higiene (taxa de inscrição) debaixo de muita chuva e após, fomos direcionadas para um grande gramado para estacionarmos. Após, fomos até a secretaria da prova e a CBA, para retirarmos o kit de adesivos, assinarmos as fichas de inscrição e fazer o cadastro de pilotos. Feito isso, retornamos ao carro para adesivá-lo. Foram quase duas horas adesivando o carro. Eu adoro esta parte, mas minha navegadora Elaine detesta rsrsrsrs Entre um adesivo e outro, os cliques dos fotógrafos não paravam, e fomos presenteadas com duas fotos maravilhosas:

Foto: Adriano Carrapato (Fotovelocidade)

Foto: Marcelo Machado de Melo (Fotovelocidade)

Após a colagem dos adesivos, partimos para a vistoria e depois para a aula de navegação com o diretor da prova, Lourival Roldan, que avisou que o piso estava liso, cheio de lama e erosões devido às chuvas da semana.

Voltamos pro hotel quase meia noite, depois de encontrar alguns amigos e colegas do off road. Acabamos indo dormir quase 3 horas da manhã, entre jantar, arrumar as coisas do rally e a mala para sair do hotel logo cedo.

E então chegou o grande dia, sábadão de rally. Saímos as 8 horas do hotel, após um delicioso café da manhã. Enquanto eu retirava a planilha e as camisetas, Elaine se concentrava sob o Totem de largada, arrumando os relógios dos celulares com o oficial da prova. Tínhamos apenas meia hora para conferir a planilha, prender a gopro, celulares com planilhas eletrônicas e cronômetro nos suportes do carro, e ainda fotografar!

Na fila de largada, fomos entrevistas para uma equipe local e a organização colou os GPS Rastro em nosso vidro para rastreamento. Largamos as 09:34h, e nosso amigo Jairo fez fotos TOP da largada: